Dia: 8 de novembro de 2012

Agradecimentos

Vou aproveitar esse espaço para agradecer a todos que leram e acompanharam o blog. Peço desculpas por não ter conseguido escrever nada melhor mas posso garantir que tentei o meu máximo. Valeu demais, grande beijo e fiquem com Deus!

Dedico essa viagem aos amores da minha vida: meus pais, meu irmão e minha mulher.

Foto tirada pelo Brian (Ride Free Motorcycle Tours)

Anúncios

Voltando pra casa…

Sair de Big Bear Lake foi difícil. Um misto de sentimentos me envolveu. Há uma semana eu não conhecia uma pessoa sequer que fazia parte do grupo e, naquele momento, eu já sentia saudade de cada um deles. O cuidado demonstrado pelo próximo, o respeito na hora de tomar decisões, o companheirismo evidenciado no compartilhamento da esperada cerveja ao fim de cada dia. As histórias divididas e as tragédias de cada um contadas sem cerimônias. Não sei se todos se sentiam assim mas, eu, definitivamente, estava triste.

Em mais uma demonstração de amor pelo trabalho, Wil saiu do caminho planejado e nos levou para o topo de uma montanha que serve de base para uma equipe de emergência do Corpo de Bombeiros. A visão lá do alto possibilita ver toda a região ao redor. Estávamos perto do condado de Los Angeles e, se não houvesse tantas nuvens na área, conseguiríamos ver uma quina da cidade.

De lá fomos para mais um daqueles acostamentos vastos para nosso último café da manhã em grupo. Mas, antes, demos uma passada em um posto de gasolina local para reabastecer as motos. A idéia era sair do café da manhã e só parar em Los Angeles para o almoço. Como as montanhas que cercam Big Bear Lake são cortadas por pistas cheias de curvas levaríamos um bom tempo até L.A. Enfim, no tal posto de gasolina encosta um coroa gente fina com um carro que é um show à parte! O velho Chevrolet (se não me engano) levou mais de uma década para ser restaurado com as peças originais! A paciência e dedicação desse senhor é invejável. Segundo o proprietário, Randy Jackson (jurado de American Idol)  já ofereceu uma grana pelo calhambeque.

Essas bicicletas motorizadas na caçamba valem uma fortuna!

Esse deve ser o motor mais limpo do mundo!

Após o abastecimento paramos numa área chamada rim of the world (borda do mundo). Já estávamos embasbacados com a vista e, ficamos ainda mais, quando pudemos apreciá-la parados. A descida do alto da montanha nos presenteou com uma vista singular: observar as nuvens abaixo de nós! Enquanto tomávamos nosso café fomos surpreendidos por um barulho assustador. Não consegui entender o que estava acontecendo mas, antes de conseguirmos pegar as máquinas fotográficas, vários carros esportivos passaram em alta velocidade. Foi um festival de Lamborghinis, Porsches, Aston Martins e, certamente, outros carros muito caros que eu não conheço. Como eu disse, foi tão rápido que ficarei devendo a foto.

Vista do último café da manhã da viagem

A saída da montanha foi tensa. O vento estava empurrando as nuvens contra as paredes rochosas e forçando-as a subir. Resultado: neblina forte! Tivemos que reduzir a velocidade porque estava difícil enxergar.

Da calmaria montanhosa que envolve Big Bear Lake até o caos urbano foi um pulo. Voltamos a cruzar as longas retas que atravessam as grandes cidades americanas. O tempo estava para muita chuva e chegamos a pegar uma garoa chata, mas nada além disso.

freeway entupida de carros em alta velocidade em pleno sábado foi inesperado. Essa foi a única hora que minha mulher ficou com medo. Mas, ao contrário do que vemos no Brasil, o respeito com o motociclista nos Estados Unidos é de emocionar. Em momento algum fomos fechados por motoristas mal educados ou passamos por qualquer situação de risco (por causa de carros e/ou caminhões). Sem querer puxar sardinha pro americano mas, nesse aspecto, falta muito para o brasileiro chegar nesse nível de educação no trânsito.

Back to L.A.

Essa viagem foi, indubitavelmente, a experiência mais emocionante da minha vida. A felicidade de andar de moto por sete dias na companhia da pessoa amada não tem preço. De quebra, tem-se o prazer de ver alguns dos lugares mais bonitos dos Estados Unidos e, porque não, do mundo. Tive a honra de conhecer um grupo de pessoas sensacionais, cada um com uma história de vida que passa algum ensinamento valioso. Foi um privilégio conhecer cada indivíduo e, certamente, essa experiência criará um vínculo eterno entre cada um de nós, mesmo que não nos vejamos mais. Desde que voltei tenho falado para meus amigos motociclistas planejarem uma viagem semelhante. Baseado no que vivi, não consigo desejar nada melhor.